A preocupação é de fazer o município crescer ainda mais

- Quarta-Feira - 04/05/2011 Itapiranga

“Estamos a todo vapor em todas as áreas, sempre dentro das possibilidades”

imgItapiranga Nesta semana, a conversa foi com o prefeito de Itapiranga, Milton Simon (PT), que relatou suas principais ações nos anos a frente à administração, bem como os planos futuros para o município. Simon também falou sobre a polêmica situação da barragem no Rio Uruguai, que tem gerado muitas incertezas e temores aos prefeitos da região e, principalmente, aos moradores dos locais que serão atingidos pelo lago. Ele faz ainda, alguns prognósticos dos governos estadual e federal, aos quais espera respaldo para o desenvolvimento de ações, não só em Itapiranga, mas em todo o Extremo-oeste. Para ele, o desenvolvimento deve ocorrer por igual, somente assim a região pode despontar. Jornal Imagem - Quais foram os principais trabalhos realizados em 2010? Milton Simon - Demos continuidade ao trabalho iniciado pelo prefeito Vunibaldo Rech, em 2005, assim como nos projetos iniciados em 2009. O ano 2010 foi de grandes avanços na realização das prioridades do Plano de Governo 2009/2012. Posso destacar os serviços prestados nas áreas da saúde, educação, assistência social, esporte, turismo, agricultura, indústria e comércio obras e transporte refletem o acelerado crescimento do município e a melhoria da qualidade de vida do povo de Itapiranga. A busca de recursos no Estado, na União ou instituições privadas, através de projetos, foi significativa, rendendo obras e investimentos como a conclusão do Centro de Eventos; construção de nova cozinha e ampliação e reforma do restaurante e criação do espaço jovem no Complexo Oktober; construção do acostamento, passeio público e iluminação na ITG-070; conclusão da segunda etapa do calçamento na comunidade de Sede Capela; ampliação e instalação de novas redes de água em diversas comunidades; reforma completa do pórtico de entrada da cidade; aquisição de escavadeira giratória e cinco caminhões-caçamba novos e retro escavadeira; reforma do Prédio da prefeitura, início da reforma do Terminal Rodoviário Pedra Vermelha, ampliação do Centro Municipal de Saúde - fase dois, aquisição de equipamentos para a modernização do laboratório de análises clínicas, aquisição de uma Van para o transporte de pacientes; construção de asfalto em ruas da cidade, também foi iniciado o calçamento no Bairro Porto Novo, a ampliação e reforma da Escola Esperança no Bairro Santa Teresa Alto, aquisição de diversos veículos, deu-se continuidade no projeto para a implantação do Loteamento Morada Feliz de Linha Santa Fé, rede de esgoto no bairro Porto Novo e aquisição de área de terra para a implantação da estação de tratamento de esgoto da cidade de Itapiranga. O resultado traduz-se na boa imagem da atual administração, na integração e bom relacionamento do Poder Público, na satisfação dos cidadãos a cada obra realizada e principalmente, no pagamento das contas em dia e os gastos públicos adequados ao orçamento pré-elaborado e discutido com a comunidade itapiranguense, através do Plano Plurianual – PPA. A harmonia entre os diferentes segmentos das comunidades e poder público é fundamental neste processo, ensinamento que o Vuni nos deixou. J.I. - No início de 2011, as atenções da comunidade estão voltadas para a construção de uma hidrelétrica no Rio Uruguai. Qual sua visão sobre o assunto e qual sua avaliação da atuação do Movimento dos atingidos por Barragens (MAB)? Simon - A População da região, já há quase 30 anos, se mobiliza, através do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), contra a construção da Barragem no Rio Uruguai. Atualmente todos os municípios atingidos pela barragem estão sem rumo, pois o projeto da construção da barragem e seus efeitos ainda não foi apresentado oficialmente à população. E quando isto acontecer, os municípios atingidos e o MAB estarão mobilizados para assegurar os direitos garantidos na Constituição. J.I - O que o senhor considera positivo e negativo no projeto da usina? Simon - Do ponto de vista apenas econômico, a construção da usina possibilitará a exploração do turismo regional. Entretanto, do ponto de vista ambiental, social, comunitário e familiar, temos muitos aspectos negativos, principalmente pela falta de informação e pela história de outras obras, a empresa se preocupa com o lado econômico e faz o social e ambiental por obrigação. J.I. - O senhor acredita em geração de energia alternativa? Simon - A matriz energética do Brasil é baseada em produzir energia a partir da água, mas hoje temos diversas outras formas de produzir energia, principalmente através dos ventos e do sol. Basta o governo focar mais nestas alternativas e dar incentivos às indústrias que produzem os equipamentos para que se instalem no país. Hoje, a energia produzida através da água tem um custo menor, por isto as empresas privadas e internacionais pressionam o governo para liberar a construção das usinas, pois o grande beneficiado é o capital. J.I. - A indústria das multas, geradas por fiscalização de radares fixos, tem ocupado o noticiário regional. Curiosamente Itapiranga não aderiu a este tipo de fiscalização. Por quê? Simon - A Administração, com a participação do Conselho Municipal de Trânsito, promove um trabalho de conscientização, preservação e cuidados a serem tomados em relação ao trânsito. Além disso, anualmente são realizadas campanhas de educação para o trânsito nas escolas municipais. No perímetro urbano, o trânsito, apesar de intenso, sempre foi calmo e organizado. Em vez de implantar um sistema de fiscalização eletrônica, usa-se um radar móvel. J.I. - Como Itapiranga fiscaliza o trânsito no perímetro urbano? Simon - Existe um trabalho de fiscalização muito bem desempenhado pela Polícia Militar, sob coordenação do Tenente Alciones Pulga. Foi criado, há alguns anos, o Conselho Municipal de Trânsito, que se reúne quinzenalmente para discutir assuntos inerentes ao trânsito local, e, as decisões tomadas são ratificadas pelo Executivo. Por decisão do próprio Conselho, foi adquirido e entregue a Polícia Militar, um radar móvel, utilizado há tempo e surtindo resultados positivos, coibindo a alta velocidade e proporcionando um trânsito mais seguro. J.I. - Itapiranga é sede de uma Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR). Na sua avaliação, ela (a SDR) atende as expectativas de Itapiranga e municípios de sua abrangência? Simon - Itapiranga é um município com um governo participativo, que se destaca no cenário regional e estadual pelo desenvolvimento socioeconômico alcançado nos últimos anos. A SDR, com sede em Itapiranga, atende as expectativas da Microrregião na execução de projetos, na liberação de recursos e agilidade no atendimento do sistema administrativo em todos os segmentos do Estado. J.I. - Para 2011, quais os principais projetos que o seu governo pretende realizar? Simon - Além dos inúmeros programas das secretarias e projetos em fase de execução, de aprovação e liberação, buscamos implantação do novo Plano Diretor Participativo, que está em fase construção; implantar o Plano Municipal de Habitação, já aprovado pelo Poder Legislativo, através da participação popular; início da elaboração do Plano Municipal de Saneamento; observar o Plano Decenal da Educação, aprovado em 2010; apoiar e dar condições para implantar o desenvolvimento turístico no município; apoiar os empreendedores do município, bem como os novos empreendimentos na indústria e comércio; na Secretaria de Transporte e obras, é constante a atenção na manutenção da malha viária do município, dando boa trafegabilidade e escoamento da produção agroindustrial e pecuária. J.I. - Qual sua expectativa em relação ao Governo Colombo? Simon - O governo Colombo é formado por diferentes siglas partidárias e, por isso, espero que ele execute os objetivos traçados no seu Plano de Governo, aprovado na urna pelo povo catarinense. Como cidadão do Extremo Oeste, espero um olhar especial aos pequenos municípios e municípios do interior. J.I. - E ao Governo Federal? Simon - O início do mandato da nova presidente foi cercado por repercussão e expectativa, por se tratar da primeira mulher eleita presidente. Vivemos um momento especial de nossa história. O Brasil se eleva, com vigor, a um novo patamar de nação. Itapiranga, com o Governo Dilma, continuará a busca de recursos, através de projetos, para atender os programas e projetos previstos. J.I. - Para o pleito de 2011, quais são suas pretensões? Simon - A escolha de candidatos é um processo natural. Ainda é cedo para falar da eleição, que acontecerá em 2012. Neste momento, centramos nossas forças para atender o Plano de Governo construído pelo povo e aprovado nas urnas em 2008. Estamos a todo vapor em todas as áreas, sempre dentro das possibilidades. A transformação política, econômica, social e cultural foi além das expectativas mais otimistas. Nos quase dois anos que restam do atual mandato, ainda temos muito a fazer e este trabalho deverá continuar depois. A coligação PT e PP, com a participação efetiva dos cidadãos, está comprometida com o Projeto por Itapiranga, iniciado em 2005, com o prefeito Vuni e cabe aos líderes que formam o governo decidir sobre a escolha dos candidatos do próximo pleito.

Mais notícias: Itapiranga

Últimas notícias:

receba o impresso no e-mail em pdf