Souza Cruz e Estado renovam programa Milho e Feijão

- Quinta-Feira - 28/03/2013 Economia

Agricultores são incentivados a plantar feijão e milho na resteva do fumo

img

São Miguel do Oeste
A propriedade rural de Moacir e Solange Vincenzi, na comunidade de Campos Sales, interior do município de São Miguel do Oeste, sediou, na manhã de sexta-feira, (22), o lançamento do Programa Milho & Feijão Após a Colheita do Tabaco no Estado de Santa Catarina. A iniciativa da Souza Cruz em, em parceria com a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, deve alcançar uma produção de 168 mil toneladas de grãos, com o envolvimento de 32 mil produtores, em uma área plantada de 45 mil hectares.
O Programa incentiva o plantio de grãos após a colheita do tabaco como forma de diversificar a propriedade, aumentar a renda do produtor e contribuir para a preservação do meio ambiente e qualidade de vida. De acordo com o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, o aspecto mais positivo para as famílias é a renda extra com a venda dos produtos e o uso na alimentação animal o que é fundamental para aumentar a densidade econômica nas pequenas propriedades rurais. Outros benefícios gerados pelo programa incluem o plantio direto, redução de incidência de pragas e doenças e a redução de custos de produção de animais na propriedade pelo aumento da disponibilidade de milho.
A solenidade de lançamento e a assinatura do Convênio de Cooperação Técnica foi acompanhada por mais de cem convidados, que conheceram a propriedade, com 30 hectares, e o novo galpão padrão de cura de tabaco Burley, desenvolvido pela Souza Cruz, além de outras iniciativas e programas de sustentabilidade voltadas à produção de tabaco.
 O Programa Milho & Feijão Após a Colheita do Tabaco é realizado em parceria com o Governo do Estado de Santa Catarina, da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Sistema Faesc), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-SC) e dos Sindicatos Rurais.

Deputados acompanharam a assinatura do termo de cooperação



Mais notícias: Economia

Últimas notícias: