Unidade de Pronto Atendimento começa a funcionar

- Quinta-Feira - 09/05/2013 Saúde e Bem Estar

img

São Miguel do Oeste
A solenidade de ativação da estrutura que vai funcionar 24 horas, atendendo pacientes do Sistema Único de Saúde aconteceu na segunda-feira (06). O secretário da Saúde, Airton Fávero, explicou que a UPA é uma estrutura intermediária, que fará a ponte entre as unidades de atenção básica da saúde, como os postos situados nos bairros, e o hospital regional, que é o local de atendimento de média e alta complexida- de.
O diretor Airton Macarini Segundo explicou todo o atendimento médico e consultas, durante o dia, será mantido nos postos de saúde. A UPA atenderá dia e noite. A unidade terá equipe de planto- nistas com seis médicos, cinco enfermeiras, cinco recepcionistas, oito técnicos de enfermagem, além de motorista, técnicos administrativos, telefonista e o próprio diretor. Os servidores foram contratados através de con- curso público.
A Unidade de Pronto Atendimento será mantida pelo Ministério da Saúde e duas prefeituras. O projeto original previa a participação das prefeituras de São Miguel do Oeste, Bandeirante, Descan- so, Guaraciaba, Paraíso e Barra Bonita. Todas deveriam contribuir com os valores necessários à manutenção do atendimento. No final, os municípios de Bandeirante e São Miguel do Oeste concordaram em pagar o funcionamento. Os demais decidiram que vão manter o atendimento hospitalar já contratado com outras instituições.
O diretor enfatiza que a unidade vai atender somente pelo SUS e não será necessária requisição de AIH, a Autorização para Internação Hospitalar. Mesmo no caso de municípios que não participam, será prestado atendimento aos pacientes. Macarini enfatiza que se houver um número grande de pacientes de municípios que não fazem parte, os prefeitos serão procurados para rever a questão da adesão ao projeto.
O secretário Airton Fávero explica que todo paciente que tiver um problema de saúde deve procurar a UPA. De acordo com ele, a triagem de cada caso será feita pelos médicos plantonistas da Unidade de Pronto Atendimento. Se for alguma coisa simples, o paciente será atendido e vai para casa. Se precisar de observação, ficará na UPA por até 24 horas, num dos sete leitos disponíveis no local. Se precisar de internação por mais tempo, ou de algum atendimento mais complexo, será transferido para o Hospital Regional. Em princípio a UPA será a via de acesso ao Hospital regional, e isso vale para os demais municípios do consórcio. Concluiu o secrtetário.

 

Mais notícias: Saúde e Bem Estar

Últimas notícias:

Anúncios

receba o impresso no e-mail em pdf