As melhores técnicas de estudo

Por: Anderson Staub - anderson.staub@gmail.com- quinta-feira - 02/10/2014 Concursos


O estudo da revista científica Psychological Science in the Public Interest, de 2013, avaliou 10 técnicas comuns de aprendizagem para classificar quais possuem de fato a melhor utilidade.

Grifar – Utilidade Baixa
Grifar só pode ter alguma (pouca) utilidade quando combinada com outras técnicas.
Releitura – Utilidade Baixa
Reler um conteúdo, em regra, é menos efetivo do que as demais técnicas apresentadas. A dica é reler imediatamente depois de ler, por diversas vezes.
Mnemônicos – Utilidade Baixa
Só são efetivos quando as palavras-chaves são importantes e quando o material estudado inclui palavras-chaves fáceis de memorizar.
Visualização – Utilidade Baixa
Os pesquisadores pediram que estudantes imaginassem figuras enquanto liam textos. O resultado positivo foi apenas em relação a memorização de frases. Em relação a textos mais longos, a técnica mostrou-se pouco efetiva.
Resumos – Utilidade Baixa
Embora tenha sido classificado como de utilidade baixa, a técnica de resumir ainda é mais útil do que grifar e reler textos. 
Interrogação Elaborativa – Utilidade Moderada
A técnica de interrogação elaborativa consiste em criar explicações que justifiquem por que determinados fatos apresentados no texto são verdadeiros.
O estudante deve concentrar-se em perguntas do tipo Por quê? em vez de O quê?.
Auto-Explicação – Utilidade Moderada
Na prática, trata-se de ler o conteúdo e explicá-lo com suas próprias palavras para você mesmo. O estudo mostrou que a técnica é mais efetiva se utilizada durante o aprendizado, e não após o estudo.
Estudo Intercalado – Utilidade Moderada
Os cientistas concluíram que a intercalação tem utilidade maior em aprendizados envolvendo movimentos físicos e tarefas cognitivas (como ciências exatas).
Teste Prático – Utilidade Alta
Realizar testes práticos é até duas vezes mais eficiente do que outras técnicas.
No caso específico de concursos públicos, a recomendação é fazer diversos exercícios de provas anteriores. 
Prática Distribuída – Utilidade Alta
A prática distribuída consiste em distribuir o estudo ao longo do tempo, em vez de concentrar toda a aprendizagem em um bloco só.
Ela também pode ser interpretada como a distribuição do estudo em pequenos períodos ao longo do dia, intervalando com períodos de descanso. Por exemplo, uma hora de manhã, uma hora à tarde e outra hora à noite.

Mais notícias: Concursos

Últimas notícias:

Anúncios

receba o impresso no e-mail em pdf