Cris Presidente

jornal@oimagem.com.br- terça-feira - 23/12/2014 Editorial

Colenda em pé de guerra


Na semana passada, a Câmara de Vereadores elegeu a mesa diretora para o ano vindouro. Na eleição da presidência para suceder Valnir Scharnoski (PSD) houve surpresa. O acordado pelos vereadores governistas era que o presidente seria Vanirto Conrad (PDT), mas elegeu-se com os votos da oposição e o dela Cristiane Zanatta Massaro (PMDB). O descumprimento do acordo da presidente, ex-líder do governo na Câmara, abriu uma crise na base governista que poderá culminar com a perda da ampla maioria do prefeito João Carlos Valar (PMDB).
Comenta-se, nos bastidores que os votos do PT serão compensados com a secretaria executiva da Câmara, que seria ocupada pelo ex-prefeito e atual presidente do PT, Nelson Foss da Silva. Por outro lado, Vanirto Conrad ameaça desembarcar do governo e a cúpula do PMDB promete submeter Cristiane ao conselho de ética do partido.
Vale lembrar que nos bons tempos da nossa democracia, que esquerdopatas chamam de ditadura, o presidente da casa legislativa era o parlamentar mais votado. Ou seja, o presidente seria Claudio Barp (PMDB), o da Assembleia Legislativa seria Gelson Merisio (PSD), na Câmara Federal Jair Bolsonaro (PP) e no Senado Federal, Álvaro Dias (PSDB). Salvo melhor juízo, as casas legislativas estariam em boas mãos e seriam poupadas das já tradicionais investidas dos corruptos.

 



Mais notícias: Editorial

Últimas notícias: