Opinião

Ageu Vieira - ageununesvieira@gmail.com- sexta-feira - 17/07/2015 Ageu Vieira

Chapas quentes
Os partidos estão se movimentando, esta semana, com reuniões importantes, tanto na situação, quanto na oposição. E, neste momento, a eleição promete ser das mais disputadas dos últimos anos. Os bastidores apontam para a repetição da chapa João Valar e Wilson Trevisan, para a reeleição. Do outro lado, na segunda-feira, se alinhavou a chapa com o ex-prefeito Gilmar Baldissera, do PP, concorrendo a prefeito, e Juarez da Silva, do PT, concorrendo a vice. O PSDB sinaliza com apoio a essa chapa.
Marketing sem noção
O Palácio do Planalto lançou uma mensagem usando uma obra de Charles Chaplin, para “comemorar” a medida que reduziu a jornada de trabalho e os salários para garantir empregos. A mensagem dizia “Jornada de trabalho menor... e meu emprego garantido”. Lógico, sem citar a redução de salários. A repercussão negativa foi tanta que horas depois retiraram a mensagem do ar. A pérola do marqueteiro se completa com o uso do filme de Chaplin. Afinal, era um filme-denúncia, que colocava os trabalhadores como explorados em “Tempos Modernos”. Sem querer, disse que os trabalhadores estão sendo explorados nestes “novos tempos”...
Projetando exemplos
Recebemos, dias atrás, uma comitiva de argentinos de Oberá e um pedido de cópia do projeto de desenvolvimento da cidade, que o secretário Renato Romancini se referiu em uma mensagem pelo Facebook, em meu perfil. Meu amigo, “abogado” Sílvio Yoni Contreras, quer conhecer esse projeto, pois há interesse em seguir caminho semelhante, em Oberá. Os “hermanos” ficam encantados com a nossa cidade, pela limpeza, organização e desenvolvimento, mas principalmente nas áreas econômica e de urbanismo.
Ouvir a comunidade
Estive conversando com Romancini sobre essas impressões dos argentinos acerca de nossa cidade e ele me expos o projeto, que será levado para discussão com a comunidade. Está correto. Creio que o planejamento de uma comunidade só será completo quando as pessoas comuns do povo forem ouvidas. Grandes projetos, construídos em gabinetes, sem ouvir os principais interessados, estão fadados ao fracasso. Por melhor que sejam, falta-lhes o “pertencimento”. Um exemplo: um plano diretor que não acolhe sugestões e opiniões da comunidade, torna-se um ordenamento alienígena, imposto à população e normalmente questionado. É preciso saber ouvir a população.
Denúncia arquivada
Uma denúncia anônima foi levada ao Ministério Público, contra o assessor jurídico da Câmara de Vereadores, Luiz Pichetti. A denúncia era de que o advogado estaria acumulando funções de assessorias para várias câmaras e prefeituras da região, o que é vedado pela obrigatoriedade de cumprimento de horário. A promotoria investigou e a denúncia acabou sendo arquivada pelo Ministério Público. Afinal, não se constatou qualquer irregularidade no trabalho desenvolvido na Câmara de Vereadores pelo advogado Luiz Pichetti.
Tudo certo
O Ministério Público também investigou a situação das casas noturnas de São Miguel do Oeste. Por conta da tragédia da boate Kiss, em Santa Maria, que vitimou inclusive jovens de nossa região, a preocupação dos promotores faz sentido. Ninguém quer que esse fato absurdo se repita conosco. O inquérito civil foi arquivado após a constatação de que as nossas casas noturnas estão todas de acordo com as leis, tanto no que se refere à documentação, quanto à segurança. Melhor assim.
Rapidinhas
- Os consumidores podem exigir na Justiça, a revisão dos valores abusivos de reajuste da energia elétrica? Afinal, os aumentos ferem dois princípios: da economicidade e da eficiência...
- Parabéns ao SESC, pela colocação de um estacionamento para bicicletas na esquina da Sete de Setembro com a Santos Dumont.
- Os espaços que sobraram nas esquinas do centro, onde está sendo feita reurbanização poderiam receber mini-praças, com bancos, para as tardes de chimarrão.
- Este conteúdo também estará no blog: ageuvieira.blogspot.com.

 

Mais notícias: Ageu Vieira

Últimas notícias:

receba o impresso no e-mail em pdf