Segurança pública é debatida por autoridades na Câmara

- quarta-feira - 12/08/2015 São Miguel do Oeste

img

São Miguel do Oeste
Dezenas de cidadãos de diferentes classes sociais e representando uma série de entidades, órgãos públicos e segmentos da sociedade participaram na noite de terça-feira, 04, de audiência pública promovida pela Câmara de Vereadores de São Miguel do Oeste. O tema central do evento foi a segurança pública no município.
A audiência foi proposta pelos vereadores Maria Tereza Capra e Juarez da Silva (PT) e reuniu também autoridades da área da segurança. Entre os principais temas debatidos, esteve o efetivo policial, a participação da sociedade, a punição e a reinserção de infratores. Para Maria Tereza, é dever do parlamento discutir temas como este. “Somos privilegiados em São Miguel do Oeste por ter uma grande estrutura de órgãos governamentais de segurança, mas também temos problemas na eficácia do trabalho”, afirmou.
O presidente da União das Associações de Moradores de Bairros de São Miguel do Oeste, Carlos Scariot, advertiu que não se pode fazer segurança só com autoridades e que a população deve ser participativa e pensar em segurança sempre. O presidente do Conselho de Segurança do Setor Leste, Enio dos Santos, falou do trabalho feito pelo Conseg com a participação de órgãos policiais, comunidade e diretores de escolas.
O tenente-coronel Héder Martins, comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar, falou que Santa Catarina é um dos estados menos violentos do Brasil e a região Extremo-oeste a menos violenta do Estado. Ele ressaltou que há 10 anos havia 13 mil PMs no Estado e hoje o efetivo é de 11 mil. O juiz Márcio Cristófoli, diretor do Fórum de São Miguel do Oeste, afirmou que uma resposta penal em tempo adequado contribui para a sensação de segurança da população, e que por isso é preciso melhorar a eficiência da Justiça e a gestão pública.

Mais notícias: São Miguel do Oeste

Últimas notícias: