Rumo ao Planalto

- segunda-feira - 27/11/2017 Boca no Trombone

Muita gente sonhando com a volta do apedeuta Lula da Silva ao Palácio do Planalto. A meu ver é a mesma coisa que um porco sonhar com uma lavoura de milho. Pelo que tudo indica, a era da enganação já passou. O eleitorado está mais informado, o judiciário mais atento e, em consequência, ladrões, corruptos, ignorantes e malfeitores terão mais dificuldades no pleito vindouro, apesar de que, ao longo da História Republicana, os eleitores não tiraram as ovelhas negras do centro do poder por meio do voto.

A tendência é a divisão do eleitorado entre extrema esquerda, com Lula, e extrema direita, com Jair Bolsonaro. Ou seja, coxinhas X pão com mortadela. Aliás, os pães com mortadela levaram um duro golpe com a reforma trabalhista. Não é mais obrigatório pagar um dia de trabalho para os sindicatos, os quais se valiam desta contribuição para custear o pão com mortadela nas mobilizações para fazer baderna.

Já os expoentes da esquerda e direita estão visitando os seu currais eleitorais. Lula está militando na terra sem lei. A caravana do ex-presidente , entre os dias 4 e 8 de dezembro, escolheu a dedo a região onde impera o crime. Todas são grandes colégios eleitorais. O objetivo dos petistas no Rio de Janeiro é vacinar as classes populares contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que, no estado, aparece empatado com Lula em algumas pesquisas.

Foto: Caravanas de Lula pelo Nordeste estão cada vez mais vazias

O roteiro de viagem inclui Duque de Caxias, Belford Roxo, Nova Iguaçu e a Zona Oeste da capital. Embora não seja grande centro urbano, Maricá será visitada pelo ex-presidente. Na cidade, moram sua filha, Lurian, e sua neta, Bia, ambas militantes do PT.

Por outro lado, Bolsonaro está direcionando a sua agenda para cidades onde é convidado. Também, Bolsonaro escalou o time de parlamentares que vai ajudá-lo a se defender das acusações de injúria e apologia ao crime atribuídas a ele pela petista Maria do Rosário (RS). Bolsonaro indicou como testemunhas de defesa o senador Magno Malta (PR-ES) e os deputados Pastor Eurico (PHS-PE), Rogério Marinho (PSDB-RN) e Sílvio Torres (PSDB-SP).

O ministro Luiz Fux, relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), mandou intimá-los. Tudo isso para não dar R$ 10 mil para a “jiguera”, pois assim acredita que irá limitar ainda mais o pão com mortadela. Diante disso, podemos concluir que o sonho Lula está cada vez mais distante.

 

Mais notícias: Boca no Trombone

Últimas notícias:

Anúncios

receba o impresso no e-mail em pdf