Coluna do dia 21/12/2017

- quarta-feira - 27/12/2017 Ageu Vieira


Emprego

 

A situação do emprego em São Miguel do Oeste está muito ruim. Em setembro, o desempenho não era nada animador, chegando a apenas 298 vagas criadas em 2017. Em outubro, caiu para 288. Ficou pior. Agora, nem milagre salva o ano. As lojas estão com imensas dificuldades, mesmo às vésperas do Natal. Se fechar o ano em 300 vagas, o empresariado deve comemorar o desempenho. Para o trabalhador, restaram poucas coisas positivas.

 

Às moscas

 

Tem lojas que estão com o movimento mais do que baixo. Está complicado até de fechar as contas no final de ano. Para muitas, o ano já acabou. Basta percorrer o centro da cidade e verificar a quantidade de salas fechadas, pelo encerramento de negócios na cidade. Isso que o município ainda conta com um movimento extra este ano, que foi a presença de argentinos no comércio. Nos mercados, os hermanos enchem os carrinhos. Para uma cidade acostumada com comércio forte, 2017 está sendo atípico.

 

Retirado

 

O projeto que muda o horário de funcionamento do comércio local foi retirado da Câmara. Na verdade, toda a tramitação começou mal. Primeiro foi colocado na Câmara, para depois ser discutido. O presidente Cláudio Barp chamou as entidades quando o projeto já estava na ordem do dia. Deu confusão, bate-boca e xingamento. Nos bastidores, teve vereador que achou que foi um tiro no pé. Seria como se Michel Temer chamasse a CUT para discutir Reforma da Previdência. O resultado era previsível.

 

Para logo

 

O prefeito Wilson Trevisan acredita que a instalação de aduana e o funcionamento do comércio na fronteira inicia nos primeiros meses de 2018. Está muito otimista. A maior parte dos desafios já foi vencida. Agora é a hora de instalar os controles de fronteira para viabilizar o tráfego de mercadorias através da ponte internacional no município de Paraíso. Trevisan teve papel fundamental no processo, dando voz aos anseios da região. Fez bem o prefeito ao tomar a frente das tratativas e assumir a condição de prefeito de município polo regional.

 

Agora vai?

 

Trevisan também está comemorando os contatos com o DNIT, tanto em relação à conclusão das obras na BR-163, quanto à implantação do contorno viário. As respostas que recebeu, agora em dezembro, é que as obras serão impulsionadas já nos primeiros meses do ano e que o DNIT vai acompanhar de perto, para não acontecer como ocorreu com a Sul Catarinense. A situação da BR-163, especialmente junto ao trevo de São José do Cedro, é da mais absoluta vergonha.

 

CAPETI

 

A Prefeitura quer retirar três famílias que ocuparam a área do antigo clube de Tiro, Caça e Pesca. Os moradores residem no local há anos, mas como a área foi doada ao município, não cabe usucapião por ser área pública. No mês passado, depois de várias tentativas amigáveis de desocupação, a prefeitura notificou as famílias dando 20 dias para saída do local. Como não houve cumprimento espontâneo, a prefeitura entrou com uma ação de reintegração de posse.

 

Fantasma

 

A Polícia Civil está investigando, por determinação do Ministério Público, crimes de falsidade ideológica e peculato cometidas por vereadores e prefeitos da região. Eles teriam participado de cursos fantasmas, onde os promotores, já ouvidos pelo DEIC, confirmaram que jamais proferiram as palestras que os vereadores comprovam ter participado. Os vereadores viajam com dinheiro público, participam de palestras-fantasma que nunca foram proferidas, recebem diárias e o povo é quem paga? O delegado Cleverson Muller tem 60 dias para concluir o inquérito.

 

 



Mais notícias: Ageu Vieira

Últimas notícias: