Dezenas de mulheres participam da programação do Ônibus Lilás

- sexta-feira - 15/06/2018 Regional

O evento foi desenvolvido em linha Campinas, pelas secretarias municipais de Assistência Social e Saúde e escritório local da Epagri

img

Com o objetivo de orientar, conscientizar e proporcionar momentos de bem-estar para as mulheres descansenses, o Governo Municipal, por intermédio das secretarias de Assistência Social e de Saúde, e Epagri, realizou nesta quinta-feira, 14 de junho, das 9h às 16h, uma programação especial com a participação do programa estadual Ônibus Lilás “Mulher, viver sem violência”, em linha Campinas, interior do município.

Dezenas de mulheres participaram da programação. A equipe da Secretaria de Saúde realizou cerca de 100 atendimentos relacionados à saúde da mulher, aferição da pressão arterial, testes rápidos de Hepatite B e C, atendimento nutricional e psicológico e auriculoterapia.

A extensionista social da Epagri, Flávia Maria de Oliveira, desenvolveu a oficina “Plantas que acalmam” e proporcionou às participantes um momento de descontração com o escalda pés, onde utilizou as plantas que apresentou na oficina. De acordo com Flávia, o programa Ônibus Lilás, é itinerante e oportuniza mulheres do meio rural. “O programa proporciona às mulheres agricultoras familiares acesso a atendimentos personalizados, garantindo assim a promoção de políticas públicas no meio rural”, explica.

O veículo é preparado para transitar em áreas rurais e está equipado para prestar orientações sobre os direitos da mulher e violência doméstica, e para divulgar os serviços públicos existentes para proteção social. Ele possui salas com divisórias para garantir um atendimento privativo e humanizado.

A atividade é organizada pela Coordenadoria da Mulher, vinculada a Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, em parceria com as Agências de Desenvolvimento Regional e prefeituras.

O Núcleo da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) disponibilizou a presença de quatro advogadas para o atendimento jurídico das participantes: Vanessa Pivotto, Noili Drehmer, Juliana Possamai e Jaqueline Raquel Guaresi.

A Delegacia Móvel também esteve presente no evento, prestando auxílio e orientando as mulheres. O delegado civil do município, Cleverson Muller ministrou uma palestra, onde especificou que a Polícia Civil está disponível para atuar em todas as situações de violência contra a mulher.

De acordo com o delegado, neste ano, na Comarca de Descanso, o número de atendimento em casos de violência contra a mulher é alto e, mesmo que as mulheres estejam se conscientizando da importância da denúncia, o número de casos existentes e que não chegam ao conhecimento da Polícia Civil é muito maior. “É importante ressaltar que a Polícia Civil está preparada e disponível para prestar todo o auxílio necessário. Embora a mulher esteja se conscientizando dos seus direitos e decidindo denunciar, ainda há muitos degraus para avançar nessa questão”, explicou o Muller.

A assessora da deputada Luciane Carminatti, Sandra Bataglin também ministrou palestra, denominada “O enfrentamento à violência contra as mulheres: uma tarefa de todas e todos”, onde orientou as participantes sobre tipos de violência contra a mulher.

Conforme a assessora, o ônibus vem com o objetivo de chamar a atenção e mobilizar a sociedade para um assunto extremamente importante, pois inúmeras vezes a mulher não sabe que está sofrendo uma forma de violência e que não precisa aceitar aquelas condições. “É importante falar sobre um assunto que muitas vezes é velado, não permitido, pois toda violência traz constrangimento, traz medo. Se torna um assunto delicado, e o ônibus vem com esse objetivo, de trazer essa motivação para que as pessoas consigam libertar e poder viver mais feliz”, explica.

Ainda, de acordo com ela, a violência física é a mais conhecida, mas no caminho para chegar até a agressão física existem outros tipo de violência que ocorrem simultaneamente, são elas: patrimonial, moral, psicológica e sexual. “A violência mais conhecida é aquela que fica marcada na pele, mas antes disso, na maioria dos casos, já aconteceu as outras violências. É um processo gradativo. Se a mulher estiver bem informada ela procurará o Cras e a Polícia Civil, enfim, conseguirá buscar ajuda e barrar a violência, e nesse momento é importante estarmos preparados para auxiliar” finaliza Sandra.

A secretária de Assistência Social, Josemari Leal Wandscheer avaliou o evento como altamente positivo. Conforme ela, a participação das mulheres e a desenvoltura do evento atenderam as expectativas. “É um assunto delicado, mas que precisa ser trabalhado. O evento veio com o objetivo de auxiliar e orientar a toda a população, em especial, as mulheres, e com certeza atendeu às expectativas”, explicou a secretária.

O prefeito Sadi Bonamigo ressaltou a importância de realizar eventos em prol da cidadania. “Essa é mais uma das ações que o nosso governo vem desenvolvendo no sentido do combate à violência e ao preconceito, seja contra a mulher, criança, ou o idoso. Às vezes a maior violência não é a física e deixa marcas para uma vida inteira. É importante proporcionar momentos de informação e ajuda a quem passa por essas situações delicadas”, ressalta Bonamigo.

 

Mais notícias: Regional

Últimas notícias: