Tunápolis abre as portas para mais uma indústria

- terça-feira - 14/08/2018 Geral

img
Embora o movimento econômico de Tunápolis esteja concentrado no setor agropecuário, a Secretaria da Indústria e Comércio vem fazendo grandes e importantes investimentos para fomentar a economia municipal e gerar empregos e renda para as famílias. Nesta terça-feira, dia 14, foi realizada a Concorrência Pública para a concessão de uso da Área Industrial II, localizada na Linha Felipe Schmidt, com uma área de 27.300m², um pavilhão de 1.221,44m², um escritório de 83,27m² e um transformador com potência 225KWA, avaliada em R$ 1.430.100,00. A indústria vencedora do certame foi Ademir Ambrosi Junior Eirelli, conhecida como Quality Nutrição Animal, com sede em Dois Vizinhos/PR, especializada na fabricação de rações personalizadas conforme a necessidade de cada propriedade. Além dos investimentos feitos pela municipalidade, a empresa fará a aplicação direta de mais R$ 1.612.200,00, com a contratação direta de sete funcionários com 90% da mão de obra local e a utilização de 70% da matéria prima local e regional. Conforme o Plano de Ações apresentado, todo o processo tem garantia de qualidade e, para a fabricação da ração, será utilizado milho, farelo de soja, farelo de trigo, casca de soja peletizada e aditivos. De acordo com o Secretário, Volmir Pedro Lawisch, esta é a quarta empresa com concessão de uso em Áreas Industriais do município, a segunda da atual gestão, em menos de dois anos. “Atualmente, o cenário empresarial representa somente 12,59% do movimento econômico do município. Mas estamos muito satisfeitos com os avanços que estamos conseguindo neste setor. Avanços estes, que não se referem somente à quantidade de empresas, mas sim, no desenvolvimento econômico do município, na geração de empregos e renda para as famílias e o consequente aumento da qualidade de vida”, enfatiza Lawisch. Para o Prefeito, Renato Paulata, é uma honra para o município receber uma indústria já consolidada no mercado de nutrição animal. “Agradecemos às administrações anteriores que adquiriram essas áreas industriais e esperamos que, à curto prazo, a empresa possa efetivar a sua instalação, iniciar a produção e retornar à comunidade e aos produtores rurais os investimentos feitos pela municipalidade”, esclarece Paulata. A empresa poderá usufruir da Área Industrial o tempo que achar necessário e, se cumprir todas as exigências previstas na Lei 1.355/2018, após 10 dez anos, receberá a escritura do imóvel em seu próprio nome.


Mais notícias: Geral

Últimas notícias: