Transporte público foi tema de audiência

.- . segunda-feira - 20/08/2018 Geral

Na oportunidade, também foi apresentado um estudo que irá embasar a licitação para nova concessão do serviço

img
Cerca de 50 pessoas participaram de audiência pública realizada na última sexta-feira (17), a partir das 18 horas, no Salão Nobre da Prefeitura de São Miguel do Oeste. Por quase duas horas, o público presente debateu e sanou dúvidas sobre o transporte público no município. O diretor da empresa Via 11, Paulo Roberto Vieira, também apresentou os resultados de um estudo técnico realizado na cidade, o qual apontou um diagnóstico do sistema atual e proposta de pontos a serem ajustados para uma nova licitação, que será realizada pelo Município. Entre os principais apontamentos, está a implantação de um terminal urbano, possivelmente, junto à atual rodoviária, além do estabelecimento de novos horários e linhas fixas. A secretária de Planejamento e Urbanismo, Marli da Rosa, destacou que o trânsito é um dos elementos de grande importância para assegurar o pleno funcionamento das cidades, no sentido de possibilitar a circulação de pessoas, o transporte de mercadorias, as atividades sociais e econômicas. “Um modelo de transporte público coletivo eficaz reduz congestionamentos, a emissão de poluentes e o número de acidentes, proporcionando uma significativa melhoria na qualidade de vida dos moradores”, salientou. O debate e participação do público foram mediados pela procuradora geral do Município, Barbara Rodrigues. Antes disso, as principais lideranças presentes se manifestaram. O presidente da Câmara de Vereadores, Claudio Barp, disse que é louvável a realização de um estudo sobre este assunto, e que o transporte público, além de ser a alternativa mais barata, pode ser a solução para desafogar o trânsito na cidade. A presidente da CDL, Solani Balbinot, ressaltou que é necessária uma mudança de cultura por parte da população, para que o transporte público seja mais utilizado. Ela sugeriu a realização de uma consulta, que a própria entidade deve realizar entre seus associados, a fim de averiguar o interesse e os horários das linhas. O presidente do Cotrasmo, Roberto Ristow, disse que o Conselho também irá auxiliar para que o sistema funcione. O presidente da União das Associações de Moradores de Bairros, Rubens Müller, sugeriu a diminuição no valor das tarifas, e que as empresas auxiliem no custeio do transporte para os seus funcionários. O diretor da empresa Via 11, Paulo Roberto Vieira, disse que a perspectiva para dez anos após a licitação e nova concessão do serviço, é de que o fluxo de passageiros aumente cerca de 20%, e a empresa responsável pelo transporte público opere com um lucro médio de 8 a 10%.


Mais notícias: Geral

Últimas notícias: