Últimas FAMÍLIA VOGT

  • X encontro internacional da Família Vogt

    img

    O 10º encontro internacional, em Itapiranga, reuniu descendentes da família Vogt

    Itapiranga O evento reuniu descendentes dos familiares Vogt de todas as regiões de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e também da Argentina, no domingo que passou em Itapiranga. Vindos da Argentina e dos estados do RS, SC e PR, mais de 300 descendentes da Família Vogt se reuniram no último domingo, (27), para manter vivos os laços de parentesco, no 10º Encontro Internacional da Família Vogt, em Itapiranga. “Nós ficamos torcendo para que não chovesse. Como o tempo colaborou, tivemos uma bonita festa, apesar do forte calor”, afirmou João Vogt, organizador do evento. A programação teve início pela manhã, com a celebração de uma missa e posteriormente a confraternização no clube Imigrantes. Entre os pronunciamentos, o professor e prefeito de Iporã do Oeste, Ilton Vogt deu as boas vindas aos visitantes e ressaltou a importância em manter os laços de parentescos. Em uma carta, datada de 1877, Jacob Vogt, nos dá uma noção da epopeia vivida pela Família Vogt em terras, até então, insípidas. Badenserthal (Picada Café), 18 de fevereiro de 1877. Certamente vocês já por longo tempo esperavam uma carta minha. Agora, se me oferece uma ocasião de mandá-la para vocês, e eu quero por isso aproveitá-la. Tua carta de Jacob Nik e também as sementes eu tenho recebido e visto também que vocês estão com saúde, como nós também agora estamos, e espero que a minha carta, graças a Deus, também vos encontre. Como se ouve e pode ler no jornal, parece bastante difícil na Alemanha, deve ser tudo muito caro, porque foi um ano de más colheitas e também com a religião as coisas estão muito ruins. Se ouve e lê que o clero e professores foram mandados embora. A maioria dos alemães aqui já se compadeceu com esta vossa desgraça. Mas aqui no Brasil, parece ser também um ano ruim, pois nós temos uma grande seca. Fome ainda não está presente, pois tem se colhido bastante, e a população em geral sempre tem para si. O milho não dará muito, pois desde Todos os Santos (01 de novembro) tem chovido muito pouco, quando daí até o Natal é o tempo de plantação do milho, e deste, nós temos a maioria do pão, pois o centeio e trigo nós não plantamos muito aqui. Milho e feijão são as principais plantações. Batatinhas são plantadas duas vezes...

    29/09/2015 Leia...

    -

Anúncios

receba o impresso no e-mail em pdf