Últimas LUIZ BASSO

  • Ex-prefeito receberá título de Cidadão Honorário

    img

    São Miguel do Oeste A Câmara de Vereadores de São Miguel do Oeste aprovou, na sessão de terça-feira (26), a outorga de título de Cidadão Honorário do município ao ex-prefeito, ex-vereador e ex-deputado estadual, Luiz Basso. Aprovado por unanimidade, o projeto de resolução foi assinado por todos os vereadores. A sessão de entrega ainda não foi marcada. Justificativa Segundo o vereador Airton Fávero (PMDB), o fato de todos os vereadores assinarem o documento, demonstra que as ações daqueles que contribuíram para o desenvolvimento e evolução do município, estão acima dos partidos. Para o presidente Flávio Ramos (PMDB) a homenagem suprapartidária é mais do que justa, uma vez que Basso representa a história viva da política e da região. “Todos sabem da vida pública de Luiz Basso. Ele foi, por cinco vezes, vereador, duas vezes prefeito e uma vez deputado estadual. A Historia de São Miguel é escrita com importante participação dele”, complementou Ramos.

     

    29/09/2015 Leia...

    -

  • Diplomacia como princípio de administração

    img

    Iporã do Oeste / Linha Fátima – No domingo, 11 de abril, os descendentes da grande família Bohnen realizaram o terceiro encontro. O evento organizado por Nestor Hammerschmitt e sua equipe, contou com a presença de descendentes do alemão Peter David Bohnen e Carolina Gervens, entre eles o vice-reitor da Unissinos, Padre Aluizio Bohnen, do Pároco Inácio Leutzlig de Lages, além dos descendentes do Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. O objetivo da confraternização foi manter viva na memória a epopéia dos imigrantes que se aventuraram em transpor o Atlântico, em meados do século XIX, em busca de melhores dias. Além de preservar e valorizar a família, a cultura, as tradições, os costumes e a religiosidade. Entre os motivos da imigração, podemos citar o apoio de Dona Leopoldina, austríaca, esposa de Dom Pedro I, idealizadora do primeiro assentamento de São Leopoldo em 1824. Os fatores externos da época, também contribuíram para que os germânicos deixassem a pátria querida. A progressiva abertura dos portos de todos os países ao comércio mundial era, na prática, uma abertura simplesmente aos navios da Inglaterra, porque sobretudo ela dispunha dos artigos baratos da moderna indústria, bem como, o poder para impor vantagens alfandegárias. Em consequência, aos alemães, vencidos pela concorrência inglesa, não restou senão deixar seu país, tomando o rumo da Hungria e da Rússia, da América, da Argentina, do Paraguai, dos EUA, do Chile e do Brasil. Foi neste contexto que, numa manhã de Julho de 1861, verão europeu, que o alemão Peter David Bohnen e sua digníssima Carolina Gervens embarcaram os filhos Hugo, Anton, Emma e Francisco em uma charete, além dos pertences de primeira necessidade e rumaram pelo vale do Rio Reno até o porto de Bremen na Vestfalia, Norte da Renania. O velho Peter não resistiu a travessia, foi sepultado em alto mar. Porém, a sua jovem esposa e os filhos chegaram ao Brasil. Ela casou-se pela segunda vez com Nicolai, tendo, como fruto deste casamento, Pedro, Fritz e Carolina. Hugo casou-se em terras da antiga província de São Pedro, hoje Rio Grande do Sul, fixou residência na Travessa Bohnen, hoje Boa Vista, Distrito de Santa Cruz do Sul – RS, teve três filhos: João, Pedro e José. José casou-se com Edvirges Voght, fixaram residência na mesma comunidade e, entre as filhas, Cecilia Bohnen, casada com Hiltor A Staub, 14 filhos tendo como primogênito Lotário e em seguinda Euclides, este redator. A festa acontece de dois em dois anos e a próxima festa da família Bohnen será na Linha Beato Roque no município de São João do Oeste.

    29/09/2015 Leia...

    -

Anúncios

receba o impresso no e-mail em pdf