Prefeito Blásio avalia viagem à Brasília


O Prefeito de Santa Helena Blásio Ivo Hickmann liderou uma comitiva que foi à Capital Federal apresentar novas demandas do Município de Santa Helena aos representantes de Santa Catarina no Congresso Nacional. Acompanharam a viagem, o vice-Prefeito João Roberto Paludo e os vereadores Wagner Giordano e Pedrinho Casanova. Essa foi a 1ª viagem realizada pelo atual chefe do executivo. Blásio afirma que convidou dois vereadores para acompanhar a viagem para reforçar os pleitos que são do interesse do município. “Na próxima viagem convidaremos outros vereadores”, afirma.

Hickmann afirma que foi uma semana decisiva na Câmara dos Deputados por se tratar dos últimos dias para a indicação das emendas parlamentares. A comitiva manteve várias reuniões com deputados da região e outros que possuem alguma relação com os partidos que estão organizados em Santa Helena. “Fomos recebidos pelos deputados Carlos Chiodini (MDB), Fábio Schiochet (PSL) e Ricardo Guidi (PSD). E entregamos pedidos à Geovânia de Sá (PSDB), Ângela Amin (PP) e aos três senadores de Santa Catarina”. Esses parlamentares sinalizaram a liberação de recursos para a área da saúde, educação e assistência social.

O pedido maior foi para os deputados Pedro Uczai (PT) e Celso Maldaner (MDB). O pleito encaminhado foi de emendas para garantir a aquisição de um Trator de Esteira. “Esses dois deputados já contribuíram muito com Santa Helena e ambos novamente empenharam a palavra para a liberação destes recursos para garantir a aquisição do trator”, afirma o Prefeito. 

Sobre o conjunto de pedidos apresentados, Blásio afirma que contemplam diversas áreas, pois a administração municipal não quer descuidar de nenhum setor. “Nós estamos aqui para representar os interesses de Santa Helena e trabalhar pelo progresso do nosso município. Vereadores de oposição endossaram alguns pedidos e esse é o nosso intuito, porque todos que querem bem de Santa Helena e ver o progresso estão convidados a fazer parte”, declara.

Para finalizar, o Prefeito disse que o relato é uma prestação de contas a comunidade e que as despesas pagas com a viagem facilmente retornam com os recursos que virão ao município. “Foi a nossa primeira viagem, mas a partir do próximo ano temos que fazer pelo menos duas viagens por ano. As articulações por telefone, e-mail, whatsapp funcionam, mas não representam a garantia de recursos. Precisamos ir a Brasília, pois lá estão os recursos dos nossos impostos e quem não é visto, não é lembrado”, finaliza.

Galeria de Imagens

Última edição

Edição 1065

17/06/2021

Anúncios

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
+